Elon Musk: Precisamos chegar a Marte por causa do “Armagedom nuclear” na Terra

“Não sei exatamente o que é esse risco, mas não é zero.”

O CEO da SpaceX, Elon Musk, está extremamente interessado em tirar a humanidade deste planeta.

E isso é mais importante do que nunca, dado o fato de que a humanidade está encarando o barril das mudanças climáticas, ataques de cometas e queda nas taxas de natalidade – para não mencionar, em suas palavras, o “bom e velho Armagedom nuclear”.

Durante uma aparição na reunião conjunta das Academias Nacionais do Conselho de Estudos Espaciais e do Conselho de Física e Astronomia, Musk elaborou seus planos ambiciosos para estabelecer uma base permanente em Marte.

As preocupações de Musk são sobre mitigar os “riscos civilizacionais que podemos potencialmente mitigar” – e tornar a humanidade multiplanetária é a principal forma de fazer isso, de acordo com o CEO.

“Se você esperar o suficiente, sabe, a Terra se tornará inabitável”, Musk meditou. “Portanto, no longo prazo, estaremos obviamente todos mortos”, acrescentou ele com uma risada.

As primeiras viagens a Marte podem ser acidentadas, Musk admitiu, referindo-se a como as primeiras travessias do Atlântico “foram terríveis”.

Na cúpula Humans to Mars do ano passado, Musk também disse que construir uma base em Marte será “muito difícil e perigoso”.

“Não é para quem tem coração fraco”, acrescentou ele na época. “Boa chance de você morrer. E vai ser difícil, difícil, mas será muito glorioso se der certo. ”

Enquanto voamos para Marte, a visão em nossos espelhos retrovisores pode não ser bonita. Na verdade, parece que Musk já está antecipando o pior para o nosso planeta atual.

“Há sempre o risco de um cometa destruir um continente”, disse Musk durante a reunião conjunta desta semana, argumentando que houve “muitos tipos de eventos de extinção em nível de continente que ocorreram no registro fóssil” que não são comentados sobre muito.

Mas “foguetes maiores” podem nos permitir afastar cometas ou foguetes espaciais que se aproximam e “um dia salvar bilhões de pessoas”, disse ele.

É conveniente, claro, que Musk diga que os maiores perigos para a humanidade são aqueles contra os quais seus interesses comerciais específicos podem se defender.

Ainda assim, as ameaças à nossa existência no planeta Terra são reais. Musk também destacou as emissões de carbono na atmosfera e o derretimento da tundra, acrescentando que ele é “provavelmente menos alarmista do que a maioria” no que diz respeito ao meio ambiente.

Musk também reiterou sua preocupação com o declínio das taxas de natalidade globais, um “risco subestimado”, com muitas taxas populacionais caindo “sem fim à vista”.

Além dos cometas, das mudanças climáticas e da queda nas taxas de natalidade, potencialmente levando nossa espécie à extinção, “há sempre o bom e velho Armagedom nuclear”, acrescentou Musk. “Isso não está fora de questão.”

“Não sei exatamente o que é esse risco, mas não é zero”, disse ele.

Sair da versão mobile