Covid-19: Autores pedem ‘retratação’ de estudo sobre cloroquina pesquisa é ‘despublicada’

O Lancet, uma das principais revistas médicas do mundo, retirou na quinta-feira um estudo influente que levantou alarmes sobre a segurança dos tratamentos experimentais Covid-19, cloroquina e hidroxicloroquina, em meio ao exame dos dados subjacentes ao artigo.

O Lancet, uma das principais revistas médicas do mundo, retirou na quinta-feira um estudo influente que levantou alarmes sobre a segurança dos tratamentos experimentais Covid-19, cloroquina e hidroxicloroquina, em meio ao exame dos dados subjacentes ao artigo.

Pouco mais de uma hora depois, o New England Journal of Medicine retirou um estudo separado, focado em medicamentos para pressão arterial no Covid-19, que contava com dados da mesma empresa.

As retiradas (retreats) ocorreram a pedido dos autores dos estudos, publicados no mês passado, que não estavam diretamente envolvidos com a coleta de dados e as fontes, disseram os periódicos.

“Não podemos mais garantir a veracidade das fontes de dados primárias”, disseram Mandeep Mehra, do Hospital Brigham and Women, Frank Ruschitzka, do Hospital Universitário de Zurique, e Amit Patel, da Universidade de Utah, em comunicado divulgado pela Lancet. “Devido a esse desenvolvimento infeliz, os autores solicitam que o artigo seja retirado.”

A retração do artigo da Lancet certamente aumentará os argumentos controversos sobre o potencial da cloroquina e da hidroxicloroquina, dois remédios antigos contra a malária, em Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. O presidente Trump os considerou tratamentos valiosos, apesar da falta de dados rigorosos mostrando que eles têm um benefício.

Enquanto isso, na quarta-feira, os pesquisadores relataram os resultados do primeiro ensaio clínico padrão-ouro da hidroxicoloroquina no Covid-19, concluindo que não previniu infecções melhores que o placebo. Outros ensaios clínicos, incluindo alguns que consideram os medicamentos como tratamentos, estão em andamento

O estudo Lancet ganhou tanta atenção porque foi além de outros estudos observacionais que descobriram similarmente que os medicamentos não estavam associados a melhores resultados para os pacientes. O estudo, supostamente baseado em dados de pacientes de 671 hospitais em seis continentes, relatou que os medicamentos também correspondiam a uma mortalidade mais alta.

As descobertas levaram à interrupção de alguns ensaios clínicos globais que estudavam a hidroxicloroquina, para que os pesquisadores pudessem verificar se havia alguma preocupação com segurança. Especialistas externos, no entanto, rapidamente levantaram preocupações após perceberem inconsistências nos dados. Eles pediram à empresa que compilou e analisou os dados, o Surgisphere, para explicar como os dados foram obtidos.

À medida que o escrutínio crescia, os autores do artigo não afiliado ao Surgisphere pediram uma auditoria independente. Na declaração da Lancet na quinta-feira, eles disseram que o Surgisphere não estava cooperando com os revisores independentes e não forneceria os dados.

“Como tal, nossos revisores não foram capazes de conduzir uma revisão por pares independente e privada e, portanto, nos notificaram de sua retirada do processo de revisão por pares”, escreveram os pesquisadores.

A nota oficial do The Lancet (tradução livre):

Declaração do The Lancet

Hoje, três dos autores do artigo, “Hidroxicloroquina ou cloroquina, com ou sem um macrólido para o tratamento de COVID-19: uma análise de registro multinacional”, retiraram seu estudo. Eles não conseguiram concluir uma auditoria independente dos dados que sustentam sua análise. Como resultado, eles concluíram que “não podem mais garantir a veracidade das fontes de dados primárias”. O Lancet leva a sério as questões de integridade científica, e há muitas questões pendentes sobre o Surgisphere e os dados que supostamente foram incluídos neste estudo. Seguindo as diretrizes do Comitê de Ética em Publicações (COPE) e do Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas (ICMJE), são urgentemente necessárias análises institucionais das colaborações de pesquisa do Surgisphere.

Original em inglês:

Statement from The Lancet

Today, three of the authors of the paper, “Hydroxychloroquine or chloroquine with or without a macrolide for treatment of COVID-19: a multinational registry analysis”, have retracted their study. They were unable to complete an independent audit of the data underpinning their analysis. As a result, they have concluded that they “can no longer vouch for the veracity of the primary data sources.” The Lancet takes issues of scientific integrity extremely seriously, and there are many outstanding questions about Surgisphere and the data that were allegedly included in this study. Following guidelines from the Committee on Publication Ethics (COPE) and International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), institutional reviews of Surgisphere’s research collaborations are urgently needed.

The retraction notice is published today, June 4, 2020. The article will be updated to reflect this retraction shortly.

Fontes:

The Lancet – “Retraction: “Hydroxychloroquine or chloroquine with or without a macrolide for treatment of COVID-19: a multinational registry analysis””

Pesquisa contestada: Covid-19: estudo com 96 mil pessoas diz que cloroquina aumenta risco de morte