Cientistas criam sonda espacial movida a vapor que pode revolucionar a exploração espacial

 

Usando vapor em vez do combustível, o protótipo da nave espacial do tamanho de microondas pode, teoricamente, explorar objetos celestes “para sempre”.

Um foguete que nunca fica sem combustível está pronto para revolucionar a exploração espacial.

Usando vapor para impulsionar uma nave espacial de asteróide para asteróide é agora possível, graças a uma colaboração entre uma empresa de espaço privado e da Universidade da Flórida Central.

Chama-se World is Not Enough (WINE) e, em vez de usar combustível para alimentar seu movimento, a nave extrai água de sua localização atual e a transforma em vapor – e a usa para se lançar em um novo destino, como algo saído de um romance esquecido de Jules Verne.

Phil Metzger, cientista de pesquisa planetária da UCF, trabalhou com a Honeybee Robotics, de Pasadena, Califórnia, que desenvolveu o protótipo de nave espacial que extrai água de asteróides ou outros corpos planetários para gerar vapor e se propulsar para seu próximo alvo de mineração.

A UCF forneceu o material asteróide simulado e Metzger fez a modelagem e simulação computacional necessárias antes que a Honeybee criasse o protótipo e experimentasse a idéia em sua instalação em 31 de dezembro. A equipe também se associou à Embry-Riddle Aeronautical University em Daytona Beach, Flórida.

“Poderíamos usar essa tecnologia para pular na Lua, Ceres, Europa, Titã, Plutão, os pólos de Mercúrio, asteróides – em qualquer lugar onde haja água e gravidade suficientemente baixa”, disse Phil Metzger, pesquisador da Universidade da Flórida Central, em um comunicado à imprensa.

Máquina de Exploração Perpétua

À medida que exploramos o sistema solar, descobrimos uma abundância de água – é na Lua, em outros planetas e até mesmo em asteróides. Enquanto pudéssemos fornecer o combustível para obter uma embarcação semelhante a WINE para um desses objetos, um painel solar implantável seria capaz de alimentar os processos de mineração e criação de vapor necessários para o movimento.

Com informações da Universidade Central da Flórida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.