China revela sua base de simulações para habitar Marte

 

Depois de realizar recentemente sua audaciosa missão lunar Chang’e 4, a China planeja ir ainda mais longe

Depois de realizar recentemente sua audaciosa missão lunar Chang’e 4, a China planeja ir ainda mais longe. A China anunciou que sua próxima intenção é conquistar Marte, começando com um rover a ser lançado no próximo ano. E agora Pequim também parece estar preparando uma missão tripulada a Marte, depois de abrir uma base em uma das áreas mais secas da Terra, para imitar o inóspito ambiente marciano.

A agência espacial chinesa CNSA pretende abrir a base de Marte para organizações de pesquisa e até mesmo turistas para recriar os desafios que os astronautas encontrarão em Marte.

Nos últimos 60 anos, fizemos muitas conquistas, mas precisamos acelerar nosso ritmo

Wu Weiren, designer-chefe do programa de exploração lunar da China

Até 60 pessoas podem viver no complexo, construídas a partir de contêineres projetados para se assemelharem a acomodações marcianas

A base de Marte custou aproximadamente 22,3 milhões de dólares para ser construída e se encontra na cidade de Mang’ai, na árida Bacia de Qaidam, um dos ambientes mais próximos da superfície marciana do planeta.

Wu Weiren, designer-chefe do programa de exploração lunar da China, revelou que a CNSA agora está focada em Marte.

Base de Marte na China: Até 60 pessoas podem viver no complexo
(Imagem: Equipe de base de simulação de Marte)

Wu disse: “Nos últimos 60 anos, fizemos muitas conquistas, mas ainda há uma grande distância das potências espaciais mundiais. Precisamos acelerar nosso ritmo. No próximo ano, vamos lançar uma sonda de Marte, que irá orbitar em torno de Marte, aterrissar e sondar.”

A Bacia de Qaidam, no oeste da China, é um ambiente árido que replica vagamente as condições em Marte. No entanto, a base não consegue imitar algumas das condições mais extremas em Marte.

Jiao Weixin, professor de ciências espaciais da Universidade de Pequim, admitiu que é “extremamente difícil simular Marte devido a suas características naturais especiais e ambiente hostil – baixa pressão do ar, forte radiação e freqüentes tempestades de areia, além de grandes diferenças geográficas”.

A base de Marte, de 570.000 pés quadrados (53.000 metros quadrados), destina-se a explorar o crescente interesse na exploração espacial da China, após o seu enorme sucesso com a missão Chang’e-4.

A China alcançou com sucesso um pioneiro mundial quando colocou o rover lunar Chang’e-4 no outro lado da lua em fevereiro deste ano. Pequim também espera voltar à superfície lunar no próximo ano e trazer amostras da Lua para a superfície da Terra.

Isso fará com que apenas a terceira nação – depois dos EUA e da Rússia – realize tal façanha.

O Dr. Malcolm Davis, analista sênior em estratégia de defesa e capacidade do Instituto Australiano de Políticas Estratégicas, acredita que há grandes implicações para a missão lunar chinesa Chang’e 4.

Isso se deve à crescente importância estratégica militar da Lua e à crescente capacidade tecnológica do Estado comunista.

Base de Marte na China: Ainda não foram anunciados preços
(Imagem: Equipe de base de simulação de Marte)

Dr. Davis disse “A China é uma superpotência em ascensão e eles estão claramente desafiando os EUA na liderança espacial.(…) Os chineses têm claramente um ambicioso programa espacial que incluirá mais missões à Lua, culminando em missões lunares humanas com uma base lunar. (…) E eles terão uma estação espacial até 2022, o que potencialmente substituirá a Estação Espacial Internacional (ISS), se o financiamento acabar para isso.”

O analista de estratégia acredita que há três razões para as ambições extraterrestres da China, preocupações militares, honra nacional e fome de recursos.

Com informações do The Global Times

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.