Carros movidos a biomassa a partir de estrume batem recorde mundial de biocombustível

E se carregar seu carro elétrico com seu próprio resíduo fosse algo incidental? Um sonho que pode se tornar realidade mais rápido do que você imagina. A empresa Tarn ARM Engineering conseguiu rodar quase 2.000 km com uma única carga, em um Renault Zoé. Um recorde inédito, que abre caminho para uma maior autonomia.

Uma modificação técnica inédita para este Renault Zoé

Para bater o recorde, este Renault Zoé passou pelas mãos experientes da empresa ARM Engineering, especializada em soluções de mobilidade inovadoras. Assim, equiparam o carro citadino com uma célula de combustível que funciona a metanol. Tudo era abastecido com combustível (GH-3) feito a partir da metanação do esterco. Para complementar a energia elétrica, foram adicionados 200 litros de combustível GH-3. O presidente da ARM Engenharia explica que “em um veículo térmico, o dispositivo reduz em 80% as emissões de CO2 para deixar de emitir partículas finas, enquanto comparado a um carro elétrico movido a hidrogênio, as emissões de gases de efeito estufa são reduzidas em 80%”.

Uma experiência de três dias

Com full full (200 litros), o Zoé desfilou pela pista do Circuito de l’Albi, no Tarn. Ao seu volante, cinco pilotos que se revezaram durante três dias, das sete da manhã à meia-noite. No total, essa tripulação incomum percorreu 2.055,68 km pulverizando a distância percorrida pelo Mirai (1.360 km).

Se essa tecnologia sugere uma grande autonomia futura, ela permanece complexa e cara. Mas esta experiência prova que os carros elétricos, em poucos anos, serão excelentes condutores.