Índia proíbe TikTok e dezenas de outros aplicativos chineses

Foto de Kon Karampelas

O governo indiano disse na noite de segunda-feira que estava proibindo 59 aplicativos desenvolvidos por empresas chinesas por preocupações de que eles estivessem envolvidos em atividades que “prejudicam a soberania e a integridade da Índia, defesa da Índia e segurança do estado e da ordem pública”. é o mais recente impasse entre as duas nações mais populosas do mundo.

O TikTok da ByteDance, que considera a Índia o seu maior mercado, os aplicativos de chamada de comunidade e de vídeo da Xiaomi, que é o principal fornecedor de smartphones da Índia, dois dos aplicativos do Alibaba Group (UC Browser e UC News), Shareit, CM Browser, Club Factory (que afirma ser a terceira maior empresa de comércio eletrônico da Índia), o ES File Explorer está entre os 59 aplicativos que o Ministério da Eletrônica e TI da Índia ordenou que proibisse.

“A equipe de resposta a emergências de computadores (CERT-IN) também recebeu muitas representações dos cidadãos em relação à segurança dos dados e à violação da privacidade, afetando questões de ordem pública”, afirmou a agência do governo indiano.

Tarun Pathak, analista da empresa de pesquisa Counterpoint, disse que o pedido impactará aproximadamente um em cada três usuários de smartphones na Índia. O TikTok, o Club Factory e o UC Browser e outros aplicativos juntos tinham mais de 500 milhões de usuários ativos mensais em maio, de acordo com uma das principais empresas de informações móveis.

27 desses 59 aplicativos estavam entre os 1.000 principais aplicativos Android na Índia no mês passado, de acordo com a empresa de insights para dispositivos móveis – dados dos quais um executivo do setor compartilhou com o TechCrunch.

Não está claro o que exatamente a “proibição” significa e como os fabricantes de sistemas operacionais móveis e os provedores de serviços de Internet devem cumprir. No momento da redação deste artigo, todos os aplicativos mencionados estavam disponíveis para download na Google Play Store e na App Store da Apple na Índia. Entramos em contato com Google, Apple, ByteDance e vários outros para comentar.

Nova Délhi disse ter recebido “muitas reclamações de várias fontes, incluindo vários relatórios sobre o uso indevido de alguns aplicativos móveis disponíveis nas plataformas Android e iOS por roubar e transmitir clandestinamente os dados dos usuários de maneira não autorizada para servidores com localizações fora da Índia”.

O anúncio da segunda-feira à noite é o mais recente impasse entre as duas nações vizinhas, após um confronto mortal na fronteira no início deste mês, que provocou tensões históricas.

Jayanth Kolla, analista da empresa de pesquisa Convergence Catalyst, disse ao Think! Move! Make! que a medida foi surpreendente e terá um enorme impacto nas empresas chinesas, muitas das quais consideram a Índia o seu maior mercado. Ele disse que a proibição desses aplicativos também prejudicaria a subsistência de vários indianos que trabalham direta ou indiretamente para eles.

Um sentimento anti-China vem ganhando espaço na Índia nas últimas semanas, desde que mais de 20 soldados indianos foram mortos por um confronto no Himalaia no início deste mês. O “boicote à China” tem sido uma tendência no Twitter na Índia desde então, quando um número crescente de pessoas postou vídeos demonstrando a destruição de smartphones, TVs e outros produtos fabricados na China.

Os fabricantes chineses de smartphones controlam mais de 80% do mercado de smartphones na Índia, que é o segundo maior do mundo. Para o TikTok da ByteDance, que tem mais de 200 milhões de usuários ativos mensais na Índia, a mudança de Nova Délhi é sua mais recente dor de cabeça. A empresa chinesa também enfrentou escrutínio na Europa e nos Estados Unidos nos últimos trimestres.

O TikTok está enfrentando uma reação negativa na Índia desde a segunda quinzena de maio, depois que os usuários desenterraram e compartilharam vários vídeos recentes do TikTok no Twitter que pareciam promover violência doméstica, crueldade com animais, racismo, abuso infantil e objetificação de mulheres. Muitos na Índia correram para deixar uma classificação ruim do aplicativo TikTok no Google Play Store para expressar seu desgosto – e o fabricante do Android teve que intervir e excluir milhões de comentários.

Dias depois, um aplicativo chamado “Remove China Apps” ganhou popularidade entre alguns indianos. O Google retirou o aplicativo mais tarde da Play Store, alegando violar suas diretrizes.

Fonte: Press Information Bureau – Government of India