Tênis feito de plantas e 100% biodegradável é lançado por empresa canadense

 

A empresa de calçados do Canadá, Native Shoes, está fazendo um sapato totalmente biodegradável, porque cada componente é feito de material vegetal.

Olhe para os seus pés. Seus calçados podem parecer inofensivos, mas eles contêm muitas formas de plástico, e muitas vezes couro, dando a eles sua própria pegada de carbono considerável. Como todas as empresas tentam limitar o uso de plásticos por elas, os fabricantes de calçados estão tentando projetar novos calçados com menores emissões embutidas. A empresa de calçados do Canadá, Native Shoes, está fazendo um calçado totalmente biodegradável, porque cada componente é feito de material de origem vegetal.

Seu novo produto denominado de Plant Shoe é feito inteiramente de fibras duráveis ​​e naturais, incluindo casca de abacaxi para o dedo do pé e a base feita de juta vegetal fibrosa, embebida em azeite de oliva. “Esse foi o enigma – como poderíamos ter um sapato inteiro para ser biodegradável?”, Diz Mike Belgue, diretor de criação da Native.

Todas as peças são feitas por material natural e biodegradável. Foto: Native Shoes

Com esse novo desenvolvimento, a Native quer impulsionar a conversa sobre o que é possível na criação de calçados sustentáveis. Várias outras marcas, como a Allbirds e a Everlane, foram pioneiras em táticas de fabricação de tênis que são mais sustentáveis ​​do que a combinação tradicional de couro e borracha que é conhecida por ser ambientalmente intensiva. A Everlane, por exemplo, usa garrafas plásticas recicladas para fazer seus tênis, e a Allbirds usa fibras inovadoras de eucalipto e cana-de-açúcar para formar seus corredores clássicos. Um novo sapato de conceito Adidas pode ser triturado e totalmente reciclado em um sapato totalmente novo.

A ideia

A Native, sediada em Vancouver, utilizou técnicas exclusivas e exclusivas de fabricação de calçados desde sua fundação em 2009. Ela produz sapatilhas de acetato de vinil etileno (ou EVA, o mesmo material usado em crocs) que podem formar um molde, e no ano passado A marca lançou uma iniciativa para reciclar os sapatos, moendo-os e criando um novo fluxo de material que pode ser reaproveitado como piso ou isolamento. Até agora, eles reciclaram cerca de 40.000 pares e começarão a usar o material para criar novos sapatos no futuro próximo.

“Mas enquanto estávamos analisando isso, continuamos pensando: o que vem depois?”, diz Belgue. “Como poderíamos de alguma forma eliminar totalmente essa etapa do desperdício e, em vez disso, fazer com que um produto venha da terra e volte inteiramente para a terra?”

A Native iniciou o processo para projetar um sapato totalmente à base de plantas e biodegradável em 2017. A parte mais difícil, segundo Belgue, foi descobrir a sola e a construção. Eles identificaram um único fabricante, Reltex, que é baseado nos Alpes franceses e cria solas de sapato a partir da seiva das seringueiras. A sola interior do sapato é feita de polpa de eucalipto.

Substituindo a espuma sintética que geralmente compõe a palmilha de um sapato, o Native usa uma combinação de kenaf feltro (uma espécie de cânhamo) e milho. A parte superior do sapato é feita de algodão de malha orgânica, e a guarnição, como a aba do dedo do pé, é composta de cascas de abacaxi.

“A parte sorrateira é como tudo vem junto”, diz Belgue. Tradicionalmente, os tênis são mantidos junto com uma cola derivada de cavalos ou de adesivos não derivados de animais que são provenientes da indústria petroquímica e não seriam biodegradáveis. Por isso, a Native optou por ter os sapatos costurados nas suas fábricas em Portugal com juta trançada de origem local, embebida em azeite para dar mais flexibilidade. Costurar é um processo mais trabalhoso, o que explica – juntamente com os materiais inovadores – o preço do calçado (US $ 200).

“Não há nada de incrivelmente novo nos materiais, mas é muito novo como conseguimos colocá-los todos juntos e encontrar soluções para todo o processo de fabricação”, diz Belgue.

O sapato vegetal, acrescenta ele, acabará se desgastando, como todos os sapatos fazem. Mas em vez de jogar este par no lixo no final de sua vida, ele pode ser colocado em uma lixeira, onde, uma vez expostos a bactérias e agentes naturais de compostagem, eles começarão a se decompor em cerca de 45 dias. E como a coisa toda é feita sem produtos químicos ou aditivos sintéticos, não prejudicará o planeta ao fazê-lo.

Ingredientes

Todos os ingredientes dos tênis. Foto: Native Shoes
  • 1 – ABACAXI – Matéria prima dos Nas Filipinas, as cascas de abacaxi não são descartadas e transformadas em têxteis ultra-sustentáveis. A mistura única de fibras de abacaxi da Native Shoes usa apenas a planta e nada mais, e quando usada no lugar de camurça na parte superior, cria uma estética crua e não filtrada – com a responsabilidade ambiental na vanguarda.
  • 2 – LINHO Um dos mais antigos e autênticos materiais naturais usados ​​no mundo. As origens do linho vêm do linho, uma planta parecida a um junco, feita de fibras longas, que prometem a força que desafia a terra quando girada em fio. A palmilha de linho orgânico da Plant Shoe é uma obra prima de conforto duradouro, respirabilidade natural e suavização única à medida que é usada a pé.
  • 3 – KENAF Originário da África, o Kenaf é uma fibra longa e excepcional que não necessita de intervenção química em seu processamento. Proporciona uma resistência ideal contra o desgaste de uma palmilha, além de se misturar com o linho para uma marcha mais suave e confortável.
  • 4 – EUCALIPTO A polpa de eucalipto é embalada e comprimida usando uma técnica de circuito fechado, processada com quase zero de efeito em seu ambiente circundante. Essa polpa comprimida é formada no estroboscópio, formando uma base maleável e higroscópica a partir da qual se constrói a parte superior do sapato.
  • 5 – LACTAE HAVEA Derivada do leite virgem de uma árvore de hevea, esta substância inteiramente pura é processada em solas de látex natural, desprovidas de qualquer e todos os petroquímicos ou aditivos. O processo pelo qual são feitos leva até cinquenta operações realizadas por artesãos artesanais treinados. Pode levar até duas semanas para criar um único par. O resultado é um produto pronto para uma vida inteira de desgaste, pois é uma vida final no composto. Métodos lentos – baixo impacto.
  • 6 – ALGODÃO Transformador e multifuncional. O algodão é onipresente em todas as formas de calçados e vestuário, desde o uso em um par de rendas orgânicas suaves até uma parte superior de lona robusta construída para o desgaste testado pelo tempo. O algodão orgânico usado aqui é partes iguais, escolhidas com responsabilidade e amigas do ambiente.

Com informações da Native Shoes