Pangea III da IBM é o supercomputador comercial mais poderoso do mundo

 

Vai ajudar os franceses da Total a encontrar mais gás e petróleo

Vai ajudar os franceses da Total a encontrar mais gás e petróleo

A primeira coisa que você faz quando constrói um novo supercomputador é comentar como ele é um dos mais poderosos do mundo, como é o caso do Pangea III, construído pela IBM.

A empresa de energia francesa Total ligou o supercomputador, que possui 31,7 petaflops de processamento; Caso você esteja se perguntando, isso equivale a 170.000 laptops combinados. O Pangea III também possui 76 petabytes de armazenamento que podem armazenar o equivalente a 50 milhões de filmes em HD e isso é… muita coisa!

Mas a Total usará todo esse poder para encontrar novos recursos em missões de exploração de petróleo e gás e encontrar mais maneiras de gerar receita.

“Isso permite à Total reduzir os riscos geológicos na exploração e desenvolvimento, acelerar a maturação e entrega do projeto e aumentar o valor de nossos ativos através de operações de campo otimizadas, com tudo isso a um custo menor”, bradou Arnaud Breuillac, presidente da Total Exploration & Production. .

Construído pela IBM, que colocou os seus CPUs POWER9 no supercomputador, o Pangea III conquistou o primeiro lugar no supercomputador comercial mais poderoso do mundo; existem mais poderosos para serem encontrados em organizações governamentais, mas eles não contam nesse ranking.

Os processadores POWER9 da Big Blue podem ser encontrados em alguns dos principais supercomputadores do mundo, incluindo as máquinas Summit e Sierra do Departamento de Energia dos EUA. E os processadores são otimizados para cargas de trabalho de inteligência artificial, o que é útil quando se deseja que um computador inteligente detecte padrões em massa de dados.

Isso significa alguma coisa para você? Provavelmente não, como ao contrário de algumas empresas de tecnologia de ponta, o poder do supercomputador provavelmente não chegará aos nossos PCs tão cedo.

Mas então você não precisa de todo esse poder para fazer suas atividades corriqueiras no computador; para essas coisas, os vendidos atualmente em lojas do ramo são suficientes.

Detalhes

De acordo com os relatórios da Total, o último Pangea III utiliza menos de 10% de consumo de energia por petaflop em comparação com seu antecessor.

Além disso, a Total informou que o Pangea III tem a capacidade de se tornar “No. 11 entre todos os supercomputadores públicos e privados globalmente”, contendo 25 de capacidade de computação petaflops e 50 petabytes de capacidade de armazenamento.

Pangea III se assemelha aos atuais Supercomputadores não-comerciais Summit da própria IBM

A adição do Pangea III à mais recente plataforma high-end HPC da Total reforça o desempenho de processamento e a escalabilidade do sistema. Os recursos aprimorados permitem que o sistema lide com problemas computacionais relacionados ao campo emergente da IA, e subconjuntos de aprendizado de máquina e análise de Big Data.

Estratégias de Crescimento

A IBM está capitalizando na rápida adoção de sistemas de supercomputação, que devem ser um catalisador chave para a empresa. Por Technavio, o mercado global de supercomputadores está previsto para testemunhar um CAGR de cerca de 9% durante o período entre 2018 e 2022.

Essa iniciativa faz parte do foco da IBM em seu segmento de TI híbrido, que foi formado e iniciou operações no ano fiscal de 2018. Ele vem tentando se concentrar mais em modelos de TI híbridos de alta margem que aproveitam o poder local e de computação em nuvem.

Segundo a IDC, cerca de 90% das maiores empresas em todo o mundo deverão adotar ferramentas e abordagens híbridas e multicloud integradas até 2024. A IBM, com sua experiência nesses domínios e iniciativas de reestruturação, está bem posicionada para manter seu domínio no mercado.

Infraestrutura

Dadas as capacidades atraentes oferecidas pela infraestrutura de nuvem híbrida da IBM, a oferta mais recente provavelmente reforçará a linha superior, ajudando, consequentemente, a IBM a competir melhor contra os pares. A empresa foi pioneira quando se trata de ajudar as empresas a se transformar e evoluir digitalmente. A gigante da tecnologia continua a trazer inovação para serviços para ajudar as empresas a alavancar tecnologias emergentes, incluindo os gostos de nuvem, AI, IoT, entre outros.

No entanto, o aumento da concorrência do Amazon Web Services (AWS) da Amazon e do Microsoft Azure no mercado de serviços de infraestrutura de nuvem é um obstáculo.