A educação científica baseada em jogos faz com que as crianças sejam ativas e críticas, diz PhD

As crianças que praticam habilidades de pesquisa e recebem educação científica antes de entrar na escola ficam mais motivadas e obtêm melhores resultados de aprendizagem mais tarde na escola.

Se a educação científica fosse mais firmemente integrada à educação inicial, as crianças de diferentes origens seriam ainda mais iguais na adoção de um modo científico de pensar, o que, por sua vez, beneficiaria nossa sociedade.

Lembre-se da alegria que sentiu quando criança quando percebeu algo pela primeira vez? Talvez você tenha aprendido um truque novo ou entendido como algo funciona. São precisamente essas percepções que podem ter um grande efeito sobre como você age e toma decisões hoje.

Se pudermos aprender uma maneira significativa de descobrir as coisas quando crianças, cresceremos para pensar em nós mesmos como agentes ativos, aprendizes e pensadores críticos. As crianças que praticam habilidades de pesquisa e recebem educação científica antes de entrar na escola ficam mais motivadas e obtêm melhores resultados de aprendizagem mais tarde na escola.

Na educação científica, as crianças praticam habilidades de pesquisa por meio de brincadeiras e realização independente. As crianças pequenas são muito curiosas por natureza – desde o momento em que começam a interagir com o ambiente.

De fato, as crianças conhecem o mundo ao seu redor através da exploração. Eles fazem observações e tentam coisas e ajustam seu comportamento de acordo. Ao fazer isso, as crianças aprendem a entender o significado de suas ações e pequenas escolhas cotidianas.

A Universidade de Helsinque desenvolveu um modelo lúdico para o ensino de ciências

No momento, a Universidade de Helsinque oferece educação científica para crianças em clubes de ciências e vários cursos e online. Esta educação se concentra em praticar as habilidades de exploração, incluindo como fazer observações sobre o fenômeno sob escrutínio. As atividades sempre usam histórias, dramatizações e dramatizações para amarrar o fenômeno examinado nas experiências cotidianas das crianças.

As inovações finlandesas espalham a alegria da aprendizagem de matemática e ciências para os jardins de infância, famílias e ambientes online.

O modelo lúdico de educação científica para crianças pequenas foi desenvolvido na Universidade de Helsinque e atualmente é aplicado em vários clubes de ciências na Finlândia. Nos últimos cinco anos, mais de 4.000 crianças participaram da educação científica lúdica.

Embora a educação científica seja freqüentemente aplicada às ciências naturais, na verdade abrange todas as disciplinas: em sua essência, a educação científica desenvolve o pensamento científico e crítico e a alfabetização científica. Esses são pré-requisitos para se tornar um membro pleno da sociedade, fazer escolhas justificadas e participar de discussões sobre ciência.

A educação científica também tem importantes efeitos sociais. A Universidade de Helsinque estuda atualmente, por exemplo, se a educação científica poderia impedir a formação de bolhas socioeconômicas.

Se a educação científica fosse mais firmemente integrada à educação inicial, as crianças de diferentes origens poderiam se tornar mais iguais em aprender e adotar uma maneira científica de pensar. Desta forma, a educação científica não apenas permaneceria um hobby em famílias com pais que já estão interessados ​​em ciência, mas se tornam disponíveis para todos.

O atual currículo de educação infantil já inclui tópicos que podem fazer uso da educação científica, como fazer observações sobre o ambiente, nomear fenômenos e classificar as coisas.

Jogar, um importante produto de exportação

A Finlândia não é o único país que oferece educação científica, mas encontramos uma maneira única de incorporar o jogo. Na Finlândia, explorar um assunto pode ser um grande papel em si, ou o ambiente de aprendizagem pode ser construído de uma maneira que permita que as crianças usem ferramentas de pesquisa como parte de seu jogo independente.

Com crianças pequenas, a ludicidade é crucial para evitar que a situação de aprendizagem exceda a compreensão da criança. Se isso acontecer, o entusiasmo e a confiança da criança podem sofrer, e o sentimento pode vir a assombrar a criança na escola, desintegrando sua motivação.

Professores e educadores precisam ser encorajados a adotar educação científica, oferecendo-lhes treinamento e materiais. Na Universidade de Helsinque, realizamos muitas pesquisas sobre o que constitui uma educação infantil significativa. Nosso objetivo é ver os cursos de educação científica cada vez mais integrados à educação universitária no futuro, especialmente na educação infantil e na formação de professores.

A educação científica finlandesa é exportada para o mundo em um pacote que inclui know-how digital e um elemento único de diversão. Brincar é uma maneira de motivar as crianças a aprenderem fenômenos científicos, criando assim uma base valiosa para futuros adultos e tomadores de decisão.

Em um vídeo de apresentação (em finlandês com legenda em inglês), Jenni Vartiainen fala um pouco sobre o assunto.

O Centro de Aprendizagem Lúdica da Universidade de Helsinque organiza educação científica para as crianças.

Com informações da Universidade de Helsinque e da colaboração da Jenni Vartiainen, Pesquisadora Pós-doutorado em Educação Científica da Faculdade de Ciências da Educação