Microsoft compra GitHub por US$ 7,5 bilhões e anuncia mudanças

Usada por 28 milhões de pessoas, plataforma é o maior repositório de código de programas do mundo.

A Microsoft está adquirindo o GitHub. Depois que surgiram relatos de que a gigante do software estava em negociações para adquirir o GitHub, a Microsoft o tornará oficial hoje. Esta é a segunda grande aquisição do CEO da Microsoft, Satya Nadella, após a aquisição de US $ 26,2 bilhões do LinkedIn há dois anos. O GitHub foi avaliado em US $ 2 bilhões em 2015 e a Microsoft está pagando US $ 7,5 bilhões em ações pela companhia em um acordo que deve ser fechado ainda este ano.

Chris Wanstrath, co-fundador do Github, Scott Guthrie e o CEO Nat Friedman, Fundador da Xamarin

O GitHub é um grande repositório de código que se tornou muito popular entre desenvolvedores e empresas que hospedam projetos, documentação e código inteiros. Apple, Amazon, Google e muitas outras grandes empresas de tecnologia usam o GitHub. Existem 85 milhões de repositórios hospedados no GitHub e 28 milhões de desenvolvedores contribuem para eles. O GitHub será agora liderado pelo CEO Nat Friedman, o fundador da Xamarin, que se reportará ao chefe da Microsoft e da AI, Scott Guthrie. O CEO e co-fundador da GitHub, Chris Wanstrath, agora se tornará um membro técnico da Microsoft, também reportando-se a Guthrie.

É fácil imaginar por que a Microsoft gostaria de adquirir o GitHub. A Microsoft matou seu próprio concorrente do GitHub, Codeplex, em dezembro e agora é o principal contribuidor do GitHub, a Microsoft agora tem mais de 1.000 funcionários ativamente empurrando código para os repositórios do GitHub. Sua popularidade entre os desenvolvedores pode fazer com que a Microsoft conquiste a confiança e o respeito que os desenvolvedores precisam. Em empresas maiores e em negócios de movimento mais lento, o fato de a Microsoft ter adquirido o GitHub tornará mais confiável o uso para projetos e controle de código-fonte, simplesmente porque a Microsoft já é confiável em muitos softwares e serviços dessas empresas. “Aceleraremos o uso do GitHub pelos desenvolvedores corporativos, com nossos canais de vendas diretas e parceiros e acesso à infraestrutura e serviços de nuvem globais da Microsoft”, disse o CEO da Microsoft, Satya Nadella.

“A Microsoft é uma companhia voltada ao desenvolvedor e, ao unir forças com o GitHub, nós fortalecemos nosso comprometimento com a liberdade do desenvolvedor, abertura e inovação”, afirmou o presidente-executivo da empresa, Satya Nadella, em nota.

Chris Wanstrath também se proununciou:

“Eu estou extremamente orgulhoso do que o GitHub e nossa comunidade foram capazes de alcançar ao longo da última década”, afirmou Chris Wanstrath, CEO do GitHub, em nota.

“O futuro do desenvolvimento de software é brilhante, e eu estou empolgado para unir forças com a Microsoft e ajudar isso virar realidade.”

A Microsoft, apesar de ser uma das maiores criadores de software proprietário do mundo, é uma das maiores contribuidoras da plataforma. Muitos dos programas da companhia tiveram seus códigos abertos no GitHub, como PowerShell, Visual Studio Code e o motor de JavaScript do navegador Microsoft Edge. A guinada rumo ao código aberto começou com a chegada de Satya Nadella à presidência-executiva da Microsoft.

Software de computador com código aberto permitem que outros desenvolvedores além dos criadores possam estudá-lo, modificá-lo, contribuir com sua criação e até desenvolvê-lo para distribuí-lo de outra forma.

O GitHub só é capaz de armazenar tantos projetos porque funciona com um sistema de gerenciamento criado em 2005 por Linus Torvalds, que é fundador do Linux, o maior projeto de código aberto do mundo. A plataforma chegou a ser avaliada em US$ 2 bilhões em 2015.

Mudanças no GitHub

A Microsoft informa que não vai alterar a forma como o GitHub opera. Isso inclui a possibilidade de os desenvolvedores usarem diferentes linguagens de programação, ferramentas e sistemas operacionais que quiserem.

A companhia, no entanto, já promoveu ao menos uma mudança. Chris Wanstrath, atual CEO do GitHub, deixará o posto, que será ocupado por Nat Friedman, um dos vice-presidente da Microsoft. Ele também é um nome conhecido no mundo do código aberto. Fundou a Xamarin, uma plataforma de código aberto para criação de aplicativos móveis adquirida pela Microsoft em 2016.

Wanstrath será incorporado à equipe da Microsoft que trabalha em iniciativas estratégicas de software.

Confiança e respeito não serão fáceis para a Microsoft vencer, no entanto. Os desenvolvedores já estão expressando suas preocupações sobre os abusos do passado da Microsoft e sobre a falha na aquisição do Skype e da divisão de telefonia da Nokia. O próprio GitHub não foi bem dimensionado e enfrentou seus próprios problemas ao longo dos anos, e há preocupações legítimas que a Microsoft precisará abordar. O GitLab, um concorrente do GitHub, afirma ter visto um aumento de 10 vezes na quantidade de desenvolvedores que transferiram seus repositórios para seus serviços, um sinal precoce de que há alguns distúrbios no desenvolvedor.

A Microsoft não conseguirá resolver a preocupação geral de que ferramentas importantes e serviços de internet continuem sendo consolidados nas mãos de algumas grandes empresas de tecnologia. “Quando se trata de nosso compromisso com o código aberto, julgue-nos pelas ações que tomamos no passado recente, nossas ações hoje e no futuro”, diz Nadella, em uma tentativa de aliviar as preocupações em torno da aquisição da Microsoft.

Para todas as preocupações, há vários motivos para considerar isso positivo para os usuários da Microsoft e do GitHub. A Microsoft vem promovendo ativamente a tecnologia de código aberto, e a empresa possui o PowerShell de código aberto, o Visual Studio Code e o mecanismo Microsoft Edge JavaScript. A Microsoft também fez uma parceria com a Canonical para levar o Ubuntu ao Windows 10 e adquiriu a Xamarin para ajudar no desenvolvimento de aplicativos móveis. Estes são movimentos que foram recebidos com surpresa pelos desenvolvedores inicialmente, mas que ganharam respeito. É essencial que a Microsoft defenda a comunidade do GitHub para ganhar ainda mais confiança e amor dos desenvolvedores. A Microsoft não é a Microsoft de novo, e essa aquisição do GitHub é uma chance para a Microsoft provar isso ainda mais.

A Microsoft tem lutado com o amor dos desenvolvedores há anos, e é uma grande parte dos motivos pelos quais o Windows Phone falhou e que sua plataforma Universal Windows Apps não decolou. A Microsoft passou os últimos anos aprimorando o Windows 10, por isso é uma caixa de desenvolvimento respeitável, e ferramentas como o Visual Studio Code – que permite que desenvolvedores criem e depurem aplicativos da Web e na nuvem – aumentaram sua popularidade entre os desenvolvedores.

A questão em torno desta aquisição será o que a Microsoft fará com o GitHub no futuro. O LinkedIn permaneceu em grande parte separado, com algumas integrações no software Office da Microsoft. A aquisição da Microsoft no Minecraft foi gerenciada igualmente bem, e é provável que o GitHub precise ficar o mais separado possível para manter a confiança do desenvolvedor. No entanto, poderíamos começar a ver uma integração ainda mais próxima entre as ferramentas de desenvolvedor da Microsoft e o serviço. Na Build do mês passado, a Microsoft continuou seu trabalho próximo com o GitHub, integrando o serviço no App Center da empresa para desenvolvedores.

A Microsoft sabe claramente que precisa tratar essa aquisição com cuidado. “Mais importante, reconhecemos a responsabilidade que assumimos com este acordo”, explica Nadella. “Estamos empenhados em sermos administradores da comunidade GitHub, que manterá seu etos de desenvolvedor, operará de forma independente e continuará sendo uma plataforma aberta. Sempre ouviremos o feedback dos desenvolvedores e investiremos em fundamentos e novos recursos. ”

Reação

Os rumores da aquisição começaram a circular ainda na semana passada e forma o suficiente para gerar reclamações na comunidade de desenvolvedores.

Veja abaixo algumas das reações de programadores: