Telescópio James Webb captura imagem fantasmagórica a 32 milhões de anos-luz da Terra

O Telescópio Espacial James Webb (JWST) capturou uma nova imagem dramática de uma galáxia espiral que se parece com uma concha celeste feita de filamentos de gás azul e rosa.

A galáxia, chamada M74, lembra a concha de um náutilo, cujas dimensões espirais obedecem à sequência de Fibonacci. Também conhecida como a Galáxia Fantasma, M74 está localizada a cerca de 32 milhões de anos-luz da Terra na constelação de Peixes. M74 é conhecido como uma “espiral de grande design” por causa de seus braços espirais proeminentes e bem definidos. Também está diretamente na linha de visão da Terra, o que torna a galáxia um alvo popular para os astrônomos que estudam a origem e a estrutura das espirais galácticas.

“A visão nítida de Webb revelou delicados filamentos de gás e poeira nos grandiosos braços espirais que se estendem para fora do centro desta imagem”, disseram representantes da Agência Espacial Européia (ESA) em um comunicado (abre em nova guia). “A falta de gás na região nuclear também fornece uma visão desobstruída do aglomerado de estrelas nucleares no centro da galáxia.”

A nova imagem faz parte da pesquisa Física em Alta Resolução Angular em Galáxias Próximos (PHANGS), uma pesquisa de longa duração de estrelas, aglomerados de estrelas e poeira em 19 galáxias. Os objetivos do PHANGS são encontrar regiões de formação de estrelas nessas galáxias, medir as massas e idades dos aglomerados de estrelas e aprender mais sobre os pequenos grãos de poeira à deriva no espaço interestelar.

O PHANGS já fotografou essas 19 galáxias usando a Advanced Camera for Surveys do Telescópio Espacial Hubble, o que torna as imagens M74 do JWST perfeitas para uma comparação inicial (abre em nova guia) entre os dois telescópios espaciais.

Uma imagem combinada óptica/infravermelho médio com dados do Telescópio Espacial Hubble e do Telescópio Espacial James Webb. (Crédito da imagem: ESA/Webb, NASA & CSA, J. Lee e a equipe PHANGS-JWST; ESA/Hubble & NASA, R. Chandar. Reconhecimento: J. Schmidt)

A visão do Hubble de M74 mostra estrelas mais velhas e mais vermelhas em direção ao centro, estrelas mais jovens e mais azuis nos braços espirais da galáxia e estrelas se formando em bolhas vermelhas. As novas observações infravermelhas nítidas do JWST são dominadas por gás e poeira dentro dos braços da galáxia, bem como pelo denso aglomerado de estrelas em seu núcleo.

“Esta nova imagem [de M74] tem uma profundidade notável”, disseram representantes da ESA. “As cores vermelhas marcam a poeira enfiada nos braços da galáxia, as laranjas mais claras são áreas de poeira mais quente.” As estrelas jovens ao longo dos braços e do núcleo nuclear são azuis, enquanto as estrelas mais pesadas e mais velhas em direção ao centro da galáxia são mostradas em ciano e verde. As regiões de formação de estrelas são representadas por bolhas rosa. “Tal variedade de características galácticas é rara de se ver em uma única imagem”, disseram representantes da ESA.

As imagens dos dois observatórios espaciais também foram mescladas para criar uma nova imagem composta única de M74 (abre em nova guia) tanto na luz visível (do Hubble) quanto na luz infravermelha (do JWST). Esta imagem composta “mostra o poder dos observatórios espaciais trabalhando juntos em vários comprimentos de onda”, de acordo com a ESA.

Sobre o autor