Novo aeroporto gigante de Pequim deve ser inaugurado às vésperas do 70º aniversário da China

 

O trabalho no Aeroporto Internacional de Beijing Daxing terminou oficialmente no domingo (30 de junho), pronto para uma inauguração em 30 de setembro

Pequim está pronta para abrir um atraente aeroporto multibilionário, lembrando uma enorme estrela do mar brilhante, para acomodar o crescente tráfego aéreo na China e celebrar o 70º aniversário do governo comunista no poder.

O trabalho no Aeroporto Internacional de Beijing Daxing terminou oficialmente no domingo (30 de junho), pronto para uma inauguração em 30 de setembro – na véspera do aniversário da fundação da República Popular em 1 de outubro de 1949 por Mao Zedong.

As comemorações desse evento verão o presidente Xi Jinping revendo uma enorme parada militar pelo centro de Pequim, com a inauguração do centro futurista, uma personificação apropriada do “sonho chinês” que ele ofereceu aos seus concidadãos.

Localizado a 46 km ao sul da Praça Tiananmen, o novo aeroporto operará a plena capacidade em 2025, com quatro pistas e com potencial para receber 72 milhões de passageiros por ano.

Até 2040, o centro deverá expandir-se para oito pistas, incluindo uma para uso militar, e será capaz de receber 100 milhões de passageiros por ano – o que o tornará o maior terminal único do mundo em termos de capacidade de viagem, segundo seus projetistas.

O aeroporto de Atlanta, nos Estados Unidos, pode atualmente receber mais de 100 milhões de passageiros, mas em dois terminais.

O atual Aeroporto Internacional da Capital de Pequim – o segundo maior do mundo – já está transbordando, com pouco mais de 100 milhões de passageiros por ano.

O transporte aéreo está crescendo na China à medida que os padrões de vida aumentam junto com o desejo das pessoas de viajar. De fato, a China vai passar os EUA para se tornar o maior mercado de aviação do mundo em meados da década de 2020, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

O país verá 1,6 bilhão de viagens de avião a cada ano a partir de 2037 – um bilhão a mais que em 2017, estima a organização.

A capital da China – com seus 21 milhões de habitantes – espera receber 170 milhões de passageiros em 2025, divididos entre os dois aeroportos.

Com 700.000 metros quadrados – mais ou menos o tamanho de cem campos de futebol – a nova estrutura será um dos maiores terminais de aeroportos do mundo.

O edifício foi projetado pela arquiteta anglo-iraquiana Zaha Hadid, que morreu em 2016, em conjunto com a subsidiária de engenharia da Aeroports de Paris.

No interior, destaca-se por suas linhas curvas e fluidas e uso de luz que filtra para os níveis mais baixos do edifício através de aberturas no teto.

Embaixo do terminal, há uma estação de trem e uma linha de metrô que permitirão aos viajantes chegar ao centro da cidade em cerca de 20 minutos.

O projeto custou 120 bilhões de yuans (US $ 23,7 bilhões), ou 400 bilhões de yuans, se as ligações rodoviárias e ferroviárias estiverem incluídas.

O canal de televisão estatal CCTV informou que a aliança SkyTeam, que inclui a Delta Air France e a KLM, será transferida para o novo aeroporto, juntamente com sua parceira Eastern Airlines e China Southern Airlines.

A terceira maior companhia aérea chinesa, a Air China, deverá continuar voando a maior parte de seus vôos do Aeroporto Internacional de Pequim.

COm informações da Bloomberg e Airport Technology