Imagens mostram que cérebros femininos se mantém mais jovens que cérebros masculinos

Uma seção transversal do cérebro humano mostra tratos de fibra envolvidos no envelhecimento.

As mulheres tendem a ter cérebros mais jovens do que suas contrapartes masculinas – pelo menos quando se trata de metabolismo.

Enquanto a idade reduz o metabolismo de todos os cérebros, as mulheres mantêm uma taxa mais elevada ao longo da vida, disseram pesquisadores na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências.

“As mulheres tinham uma idade cerebral mais jovem em relação aos homens”, diz o Dr. Manu Goyal, professor assistente de radiologia e neurologia na Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis. E isso pode significar que as mulheres estão melhor equipadas para aprender e serem criativas mais tarde na vida, diz ele.

A descoberta é “uma ótima notícia para muitas mulheres”, diz Roberta Diaz Brinton, que não estava conectada com o estudo e dirige o Centro de Inovação em Ciências do Cérebro da Universidade de Ciências da Saúde do Arizona. Mas ela adverte que, embora o metabolismo cerebral das mulheres seja mais alto no geral, alguns cérebros de mulheres experimentam um declínio metabólico dramático em torno da menopausa, deixando-os vulneráveis ​​à doença de Alzheimer.

O estudo veio depois que Goyal e uma equipe de pesquisadores estudaram os exames cerebrais de 205 pessoas cujas idades variaram de 20 a 82. A tomografia por emissão de pósitrons dessas pessoas avaliou o metabolismo medindo a quantidade de oxigênio e glicose que estava sendo usada em muitos locais diferentes. cérebro.

Inicialmente, a equipe esperava usar as informações metabólicas para prever a idade de uma pessoa. Então eles tiveram um estudo de computador sobre como o metabolismo mudou tanto em homens quanto em mulheres.

Então eles inverteram o processo e fizeram o computador estimar a idade de uma pessoa com base nos dados do metabolismo cerebral.

A abordagem funcionou. “Foi altamente previsível da idade”, diz Goyal.

Mesmo assim, para algumas pessoas, havia uma grande diferença entre a idade do cérebro e a idade cronológica. E Goyal diz que a equipe se perguntou se essa diferença era mais pronunciada em homens ou mulheres.

Então eles checaram.

“Quando olhamos para machos versus fêmeas, encontramos um efeito”, diz Goyal. “Descobrimos que as fêmeas tinham uma idade cerebral mais jovem em relação aos homens”.

Os cérebros das mulheres apareceram cerca de quatro anos mais jovens, em média. Mas ainda não está claro o porquê.

“Isso nos faz pensar, os hormônios estão envolvidos no metabolismo do cérebro e como ele envelhece?” Goyal diz. Ou é outra coisa, como genética?

Seja qual for a causa, o metabolismo mais elevado pode dar ao cérebro feminino uma vantagem quando se trata de aprendizado e criatividade na vida adulta, diz Goyal.

“Mas também pode configurar o cérebro para certas vulnerabilidades”, diz ele, incluindo um risco maior de desenvolver a doença de Alzheimer.

Brinton vê isso de forma diferente. Ela acha que o metabolismo cerebral mais elevado das mulheres as protege da doença de Alzheimer quando são jovens.

Mas a menopausa, diz ela, causa uma “transição energética no cérebro”, que afeta muito mais o metabolismo cerebral de algumas mulheres do que outras.

A pesquisa de Brinton sugere que as mulheres com maior probabilidade de sofrer uma queda dramática são aquelas que carregam uma variante do gene chamada APOE4, que aumenta o risco de uma pessoa de desenvolver Alzheimer, ou aqueles que têm fatores de risco para diabetes tipo 2.

“São aquelas mulheres que começarão a desenvolver a patologia da doença de Alzheimer mais cedo”, diz ela.

Como o metabolismo do cérebro diminui nessas mulheres, diz Brinton, há um aumento nas proteínas pegajosas associadas à doença de Alzheimer.

“Este é um processo que começa muito cedo no processo de envelhecimento para algumas mulheres”, diz Brinton. “E nós podemos intervir.”

Como? Os passos são muito parecidos com aqueles destinados a prevenir o diabetes, diz Brinton. Eles incluem dieta, exercícios e drogas que ajudam o cérebro e o corpo a metabolizar o açúcar.