Paul G. Allen, co-fundador da Microsoft, morre em Seatle

 

Paul G. Allen, o co-fundador da Microsoft que ajudou a introduzir a revolução da computação pessoal e depois canalizou sua enorme fortuna para transformar Seattle em um destino cultural, morreu na segunda-feira em Seattle. Ele tinha 65 anos.

A causa foi complicações do linfoma não-Hodgkin, disse sua família em um comunicado.

A doença recorreu recentemente após ter estado em remissão durante anos. Ele deixou a Microsoft no início dos anos 80, depois que o câncer apareceu pela primeira vez e, usando sua enorme riqueza, causou um forte impacto na vida de Seattle através de sua filantropia e de sua propriedade da N.F.L. equipe lá, garantindo que permaneceria na cidade.

Paul Allen conseguiu a incrível marca de 1600 no SAT, uma espécie de Enem americano, usado para entrar na universidade. Com a nota máxima no teste ele pode escolher para onde gostaria de estudar, ele optou pela Universidade de Washington, a mesma em que seu pai trabalhava.

Seus estudos universitários, assim como a da maioria dos gênios da computação, não foram muito longos. Paul largou os estudos 2 anos depois para trabalhar como programador na Honeywell, uma multinacional que opera no ramo aeroespacial, nos mais variados serviços de engenharia, etc;

Com o novo emprego fixou residência em Boston, voltando a morar perto de Gates. Com a reaproximação, Paul conseguiu convencer Bill a também largar a universidade e juntos, fundarem a Microsoft;

Allen foi uma força na Microsoft durante seus primeiros sete anos, juntamente com seu co-fundador, Bill Gates, quando o computador pessoal passava de uma curiosidade amadora para uma tecnologia convencional, usada por empresas e consumidores.

Quando a empresa foi fundada, em 1975, as máquinas eram conhecidas como microcomputadores, para distinguir os computadores de mesa das máquinas pesadas do dia. Allen surgiu com o nome Micro-Soft, adequado para uma empresa que fabricava software para pequenos computadores. O termo computador pessoal se tornaria comum mais tarde.

O primeiro produto da empresa foi uma versão muito compactada da linguagem de programação Basic, projetada para se adequar a essas máquinas com baixo consumo de energia. No entanto, a grande ação da empresa ocorreu quando prometeu à gigante da computação IBM que fornecia o software do sistema operacional para a entrada da IBM no negócio de computadores pessoais. Gates e Allen se comprometeram a fornecer esse software em 1980.

Na época, era uma promessa sem um produto. Mas Allen foi fundamental na criação de um acordo para comprar um sistema operacional inicial de um programador em Seattle. Ele e Gates mexeram e massagearam o código, e se tornou o sistema operacional que guiou o computador pessoal da IBM, lançado em 1981.

Allen, à esquerda, e Bill Gates em 19 de outubro de 1981, após assinar um contrato com a IBM para fornecer sua linha de computadores pessoais com o software da Microsoft. Foi um momento decisivo para a IBM e a Microsoft. Créditos: Microsoft
Remake da Foto anos depois. Créditos: Microsoft

Com informações do The New York Times, do Wall Street Journal, da CNN e da CBS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.