Coroas Norueguesas

Noruega diz que fundo de US$ 1 trilhão não deve investir em private equity e startups

 

O fundo soberano da Noruega, o maior do mundo com mais de US $ 1 trilhão, não deverá ter permissão para investir em private equity, em startups de tecnologia, por exemplo, como havia solicitado. O Governo Norueguês decidiu citando custo e falta de transparência na última semana (dia 11).

Siv Jensen diz que não permitira o uso do fundo para Private Equity por conta de manter a transparência.

O Ministério das Finanças anunciou sua recomendação em seu Livro Branco (Orçamento Nacional) anual sobre os fundos de pensão do país.

O Banco Central da Noruega, que tem a tarefa de administrar o enorme fundo de fortunas, pediu permissão para investir em empresas não listadas por causa da possibilidade de retornos mais altos.

Mas a ministra das Finanças, Siv Jensen, disse em resposta aos repórteres: “Isso é pura e simplesmente por causa do fato de que nos preocupamos com a imagem do fundo … especialmente quando se trata de transparência”.

O fundo, avaliado em 8,48 bilhões de coroas (quase 880 bilhões de euros ou US $ 1,08 trilhão ou R$ 3,4 trilhões) no final de 2017, era na época investido em ações (65,9% da carteira), títulos (31,6%) e imóveis (2,5%). .

O governo também reiterou sua oposição a permitir que o fundo invista em infra-estrutura não cotada, mas deixou a porta aberta para investimentos em infraestrutura de energia renovável não listada, como fazendas eólicas e de energia solar.

O livro branco ainda precisa passar pelo parlamento, onde o governo de direita está em minoria e pode ser obrigado a negociar compromissos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.