Vírus da Covid-19 pode infectar células formadoras de neurônios, diz estudo

Um estudo, publicado na Cell Research em 4 de agosto desse ano, testou em laboratório a possibilidade de infecção do vírus SARS-CoV-2, o vírus responsável pela doença COVID-19, em neurônios humanos, inclusive naqueles que são os responsáveis pela produção de novos neurônios

Em um estudo, publicado na Cell Research em 4 de agosto desse ano, testou-se em laboratório a possibilidade de infecção do vírus SARS-CoV-2, o vírus responsável pela doença COVID-19, em neurônios humanos, inclusive naqueles que são os responsáveis pela produção de novos neurônios.

Em maio, em experimentos com células cultivadas em laboratório, pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), no estado de São Paulo, confirmaram que o novo coronavírus SARS-CoV-2 poderia infectar neurônios humanos.

A doença coronavírus 2019 (COVID-19) é causada pelo SARS-CoV-2, também conhecido como a nova síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2. Mais de 17 milhões de casos confirmados de COVID-19 e mais de 686.703 mortes associadas foram relatados em 218 países e regiões geográficas a partir de 3 de agosto.

Este novo coronavírus causa principalmente doenças respiratórias com manifestações clínicas muito semelhantes às da SARS. No entanto, sintomas neurológicos, incluindo cefaleia, anosmia, ageusia, confusão, convulsão e encefalopatia, também foram frequentemente notificados em doentes com COVID-19.

Um estudo de 214 pacientes com COVID-19 hospitalizados em Wuhan relatou que 36,4% de todos os pacientes e 45,5% dos casos graves tinham sintomas neurológicos. Além disso, estudos da França e da Alemanha revelaram que 84,5% e 36,4%, respectivamente, dos pacientes com COVID-19 tinham infecções virais no cérebro.

No entanto, não houve evidência experimental direta de infecção por SARS-CoV-2 no sistema nervoso central humano (SNC).

Para explorar o envolvimento direto de SARS-CoV-2 no CNS em modelos fisiologicamente relevantes, a equipe de pesquisa avaliou a infecção por SARS-CoV-2 em células progenitoras neurais humanas (hNPCs), neuroesferas e organóides cerebrais derivados de células-tronco pluripotentes induzidas (iPSCs )

Os resultados demonstraram que hNPCs derivados de iPSC foram permissivos à infecção por SARS-CoV-2, mas não à infecção por SARS-CoV. Extensa expressão de proteínas e partículas virais infecciosas foram detectadas em neuroesferas e organóides do cérebro infectados com SARS-CoV-2, o que sugeriu que o SARS-CoV-2 poderia infectar o cérebro humano de forma produtiva.

É importante ressaltar que a infecção por SARS-CoV-2 em organóides do cérebro humano 3D foi localizada em células positivas para TUJ1 (marcador neuronal) e NESTIN (marcador NPC), sugerindo que o SARS-CoV-2 poderia ter como alvo direto neurônios corticais e NPCs.

“No geral, nosso estudo fornece a primeira evidência de infecção direta por SARS-CoV-2 em organóides do cérebro humano, o que contribui para a nossa compreensão da patogênese das complicações neurológicas em COVID-19”, disse o Prof. HUANG Jiandong de HKU, que liderou o estude.

A equipe de pesquisa sugeriu que as consequências crônicas e de longo prazo da infecção por SARS-CoV-2 do SNC devem ser monitoradas de perto.

Fontes: