Até 36 raças alienígenas inteligentes podem existir em nossa galáxia, diz estudo

Um novo estudo realizado por cientistas do Reino Unido apoiou teorias sobre a vida no espaço, descobrindo que pode haver até 36 raças alienígenas inteligentes em nossa galáxia.

Conceito artístico de uma civilização próxima que sinaliza a Terra depois de observar nosso planeta cruzando-se em frente ao sol (imagem da UC Berkeley cortesia de Breakthrough Listen) (fornecido)

Um novo estudo realizado por cientistas do Reino Unido apoiou teorias sobre a vida no espaço, descobrindo que pode haver até 36 raças alienígenas inteligentes em nossa galáxia.

Pesquisadores da Universidade de Nottingham calcularam que poderia haver dezenas de outras civilizações extra-terrestres dentro da Via Láctea.
Mas como a distância média a esses mundos seria de 17.000 anos-luz, a comunicação e a detecção seriam “muito difíceis” da Terra com a tecnologia atual.

O estudo estimou o número de civilizações comunicantes inteligentes em nossa própria galáxia, assumindo que a vida inteligente se desenvolve em outros planetas de maneira semelhante à Terra.

“Deveria haver pelo menos algumas dezenas de civilizações ativas em nossa galáxia, sob a suposição de que são necessários cinco bilhões de anos para que a vida inteligente se forme em outros planetas, como na Terra”, disse o pesquisador Christopher Conselice.

A pesquisa revela que o número de mundos extraterrestres depende de quanto tempo eles estão ativamente enviando sinais para o espaço, como transmissões de rádio de satélites e televisão.

Se outras civilizações tecnológicas sobreviverem enquanto a nossa, que tem 100 anos, existirão cerca de 36 formas de vida técnicas inteligentes em andamento na Via Láctea, segundo o estudo.

A teoria girou em torno de examinar a evolução e aplicá-la em uma escala cósmica, diz o professor Conselice.

Ele teoriza que a vida inteligente se forma em menos de cinco bilhões de anos ou após cerca de cinco bilhões de anos.

Na Terra, uma civilização comunicante se formou após 4,5 bilhões de anos.

“Nos critérios fortes, segundo os quais é necessário um conteúdo metálico igual ao do Sol (o Sol é relativamente rico em metais), calculamos que deve haver cerca de 36 civilizações ativas em nossa galáxia”, disse o primeiro autor Tom Westby.

O diagrama mostra a composição da Via Láctea. (NASA)

Descobrir a escala – se houver – da vida inteligente poderia oferecer um vislumbre das chances da existência da Terra, segundo o estudo.

Se a vida inteligente é comum, isso revelaria que nossa civilização poderia existir por muito mais tempo do que algumas centenas de anos.

Mas, se não há civilizações ativas em nossa galáxia, é um mau sinal para a sobrevivência a longo prazo do nosso planeta.

O estudo foi publicado no The Astrophysical Journal.

Com informações: University of Nottingham e The Astrophysical Journal.