Nova experiência testará motor que desafia as leis da física

Se funcionar, um dia poderemos impulsionar naves espaciais sem a necessidade de combustível.

Nos últimos 20 anos, no entanto, um punhado de equipes de pesquisa, incluindo uma da NASA, afirma ter produzido sucesso com um EmDrive. Se for verdade, isso equivaleria a um dos maiores avanços na história da exploração espacial. O problema é que o impulso observado nesses experimentos é tão pequeno que é difícil dizer se é real.

Modelo em 3D do Emdrive

Se isso parece bom demais para ser verdade, é porque provavelmente é – um EmDrive em funcionamento iria literalmente quebrar uma das leis fundamentais da física – mas isso não impediu cientistas de importantes organizações de pesquisa, incluindo a NASA e a DARPA, de buscar a tecnologia, porque a recompensa seria tão extraordinária.

Agora, uma equipe de físicos alemães está conduzindo um novo experimento do EmDrive – e este pode acabar com o debate em torno do conceito controverso de uma vez por todas.

Mais força de Impulso

Em 2001, o cientista britânico Roger Shawyer propôs a idéia de gerar impulso bombeando microondas para uma câmara cônica. Eles então ricocheteariam pelas paredes do cone, exercendo força suficiente para impulsionar naves espaciais. ”

O problema é que isso essencialmente criaria força a partir do nada, o que não é possível de acordo com a lei de conservação do momento.

Ainda assim, um punhado de pesquisadores afirma que eles conseguiram gerar algum impulso em seus experimentos EmDrive – embora a quantidade seja tão baixa que até agora tem sido difícil dizer se o dispositivo estava de fato gerando o empuxo ou se foi causado por algum influência externa, como o magnetismo da Terra ou vibrações sísmicas.

Treinamento de Sensibilidade

Para esclarecer a controvérsia, a equipe da Technische Universität Dresden construiu um instrumento super-sensível para medir o impulso que eles acreditam ser imune à interferência externa que aflige outros estudos.

Eles planejam publicar os últimos resultados de seus experimentos EmDrive na revista Acta Astronautica em agosto, de acordo com um novo perfil da Wired sobre seu trabalho, e a principal pesquisadora Martin Tajmar disse à publicação que acha que estamos a apenas alguns meses de finalmente o debate do EmDrive para a cama.

Com informações da Wired e Emdrive.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.